O feito notável que foi o Seiko Quartz Astron perdura.

Sem dúvida que não é exagero afirmar que o Seiko Quartz Astron, lançado no dia 25 de Dezembro de 1969, foi um relógio de pulso que mudou o mundo.
Com uma precisão 100 vezes superior à de um relógio mecânico comum, foi o relógio que deu início à democratização do movimento de quartzo que colocaria a medição precisa do tempo ao alcance de qualquer pessoa.
Passadas quatro décadas, em 2012, um novo relógio com o nome Astron foi além da alta precisão para tornar realidade o ajuste ultra-preciso da hora através das zonas horárias.

A Primeira Revolução

O Seiko Quartz Astron 35SQ

O relógio que desencadeou a Revolução do Quartzo. O Astron 35SQ foi o primeiro relógio de pulso do mundo com movimento de quartzo, e mudou para sempre a indústria relojoeira. O design único deste modelo foi obra de Kazunari Sasaki da Suwa Seikosha. O Quartz Astron começou a ser comercializado a 25 de Dezembro de 1969. Quartzo (Calibre 35A, diâmetro 30mm, altura 5,3mm). Frequência do oscilador de quartzo: Frequência do oscilador de quartzo: Caixa e fivela em ouro amarelo de 18K (diâmetro 36mm, altura 11mm). O preço era de 450.000 ienes.

O oscilador é o elemento que governa a precisão de um relógio. Desde a época de Abraham-Louis Breguet que se sabia que essa precisão podia ser melhorada com o aumento da frequência de oscilação. Na década de 1950, alguns relojoeiros conseguiram melhorar de forma dramática a precisão de relógios de pulso num uso normal, adoptando esta abordagem. No entanto, enquanto um relógio tivesse componentes pesados como a roda de balanço, seria difícil ir mais além. Os relojoeiros viraram a sua atenção então para uma tecnologia que atravessa uma corrente eléctrica através de um cristal de quartzo para controlar a precisão das oscilações. Perceberam que, teoricamente, seria possível aumentar o número de oscilações até vários milhares de vezes mais do que num relógio mecânico, usando um pequeno cristal.

Em 1959, Suwa Seikosha (hoje, Seiko Epson) e um subsidiário da K. Hattori& Co. (hoje, Seiko Watch Corporation) começaram a desenvolver um movimento de quartzo que fosse alimentado por uma bateria de 1.5V. Eventualmente, começou a considerar-se a produção em massa, ao mesmo tempo que a empresa encontrou um método para criar o oscilador de quartzo a partir de ácido fluorídrico, usando uma técnica foto-litográfica, colocando o oscilador em suspensão numa cápsula fechada a vácuo para o proteger de choques, e controlando os efeitos das alterações de temperatura graças a um novo condensador termo-variável.

Em 1963, a Seiko apresentou o Crystal Chronometer, um relógio de mesa regulado por quartzo. No ano seguinte, a Seiko dominou a categoria de cronómetros de quartzo para uso marítimo na competição do Neuchâtel Observatory, conquistando o 2º e o 7º lugares. Depois, a empresa dedicou-se a reduzir o tamanho desta tecnologia. Os relógios de bolso de quartzo que entraram na mesma competição foram premiados nas edições de 1966 (2º a 5º lugares), e de 1967 (primeiros 5 lugares).

Um artigo no New York Times de 5 de Janeiro de 1970 apresentava o Seiko Quartz Astron sob o título "Destaque para a Precisão de Dispositivo de Cristal em Relógio Japonês" ("Accuracy Stressed For Crystal Device In Japanese Watch"). Entrevistado para este artigo, Reijiro Hattori, Presidente da K. Hattori, referia que tinham sido vendidas 100 unidades antes do final de 1969, e que a empresa planeava introduzir o novo relógio nos Estados Unidos.

Tinham sido ultrapassados os problemas com os cristais de quartzo, mas continuavam a existir obstáculos à miniaturização da tecnologia. O motor que transforma as oscilações do quartzo em rotações dos ponteiros era grande, quer em tamanho, quer em consumo de energia. A Suwa Seikosha encontrou uma forma do rotor e do estator ocuparem menos espaço. Para a bobine, feita de fio de cobre de 20µm enrolado 20.000 vezes, foi desenvolvido um motor de passo com 6 polos que faz o motor rodar 60 graus de cada vez através de um impulso eléctrico por segundo. O resultado foi um motor mais pequeno com um consumo energético de apenas 18µA.

Em 1968, Shoji Hattori, Presidente da K. Hattori, ao ver como progredia o desenvolvimento, decidiu acabar com o projecto do relógio de diapasão que decorria em paralelo, e disse à sua equipa que queria ter o relógio de quartzo no mercado dentro de um ano. A equipa de desenvolvimento, liderada por Tsuneya Nakamura, conseguiu por fim ter 20 relógios criados em Dezembro de 1969. O nome dado ao relógio era Astron. Para o primeiro relógio de pulso de quartzo do mundo produzido em massa, Shoji Hattori escolheu um nome que fizesse eco da linguagem da "era espacial".

Nos dez anos que se seguiram à criação do Quartz Astron, a sua tecnologia transformou a forma como as pessoas concebiam o tempo, e abriu caminho para o desenvolvimento de dispositivos digitais. Promovido sob o lema "Um dia, todos os relógios serão feitos assim", os sucessores do Seiko Quartz Astron mudaram o mundo horológico.

A História do Desenvolvimento do Relógio de Quartzo

* O texto a negrito indica desenvolvimentos associados à Seiko.

1952
A Elgin Watch (EUA) e a Lip (França) anunciaram ambos o desenvolvimento de um relógio regulado por roda de balanço e alimentado por bateria.
1953
A Bulova (EUA) requereu uma patente para um relógio regulado por diapasão.
1956
A Art (Japão) anunciou o conceito de usar transístores num relógio.
1957
A Hamilton (EUA) desenvolveu com sucesso um relógio regulado por roda de balanço alimentado por bateria, e deu início à sua produção em massa.
1958
A Seikosha criou um relógio de quartzo para uso em empresas de transmissão rádio.
1959
A Suwa Seikosha dá início ao “59A Project”. Começou assim oficialmente o desenvolvimento de relógios de próxima geração.
1960
A Bulova lança o Accutron, um relógio de pulso electrónico regulado por diapasão.
1962
René Le Coultre (suíço) funda a CEH (Electronic Watch Center).
1964
A Seiko lança o Crystal Chronometer, um relógio de mesa controlado por quartzo.
1967
O relógio de bolso de quartzo da Suwa Seikosha conquista vários prémios de topo na competição do Observatório de Neuchâtel na Suíça.
A CEH e a Suwa Seikosha participaram na categoria de relógios de pulso de quartzo nestas provas.
1968
A Suwa Seikosha lança o 31EL, um relógio de pulso alimentado a bateria e com âncora de escape.
A empresa abandona o projecto de desenvolvimento do diapasão e foca-se em colocar o seu relógio de quartzo no mercado dentro de um ano.
1969
A 25 de Dezembro, a K. Hattori& Co. anuncia o Seiko Quartz Astron 35SQ e começa a comercializá-lo. Era o primeiro relógio de pulso de quartzo do mundo a ser lançado no mercado.
1970
A Seiko decide dar início à produção em massa de relógios de quartzo.
1971
A Seiko lança o 35SQC com calendário.
1972
A Seiko comercializa o primeiro modelo feminino de relógio de pulso de quartzo do mundo, o 03SQ.
1973
A Seiko lança o primeiro relógio de pulso de quartzo digital com um ecrã LCD de 6 dígitos.
1982
Os relógios de quartzo ultrapassam os 50% da produção mundial de relógios.

Sem paragens, sempre preciso, e lindíssimo
A Segunda Revolução

A segunda geração Seiko Astron é um relógio de pulso GPS Solar que foi lançado em 2012.
Apesar do novo Astron ter funções e capacidades que excedem largamente as do seu predecessor de 1969, foi escolhido o nome Astron para exprimir a importância da tecnologia GPS Solar que contém, e realçar a sua alta precisão, tão revolucionária quanto a do primeiro Quartz Astron.

2012[Série 7X]

O “novo” Astron lançado em 2012. Foi o primeiro relógio de pulso produzido em massa com hora sincronizada através da recepção de sinais de satélites GPS, e funções de ajuste de fuso horário. Os esforços seguintes focaram-se em reduzir as dimensões do Seiko Astron, e melhorar o desempenho de recepção de sinais e ligação à rede GPS. Movimento de quartzo GPS Solar (Calibre 7X52). Cerâmica e Titânio (diâmetro 47mm, altura 16,5mm). Resistência à água de 10 bar.

O Astron original lançado em 1969 era cerca de 100 vezes mais preciso que os relógios mecânicos comuns existentes na época. Tinha uma precisão de ±5 segundos por mês. Daí em diante, a Seiko continua a aumentar a precisão dos relógios de quartzo.

Que tecnologias foram consideradas antes de se alcançar este nível de precisão? Uma foi o relógio controlado por rádio. Em 2004, a Seiko lançou um modelo com esta tecnologia e que ajustava a hora com base em sinais horários padrão. Teoricamente, um relógio rádio-controlado que usasse um relógio atómico como referência deveria ter uma precisão extraordinária, mas a Seiko tinha consciência das limitações desta abordagem. Uma vez que apenas quatro países no mundo inteiro emitem sinais horários padrão, pode não ser possível obter a hora exacta em países fora do alcance destes sinais.

A empresa lançou-se então no desenvolvimento de um relógio que pudesse ser preciso em qualquer parte do mundo. Estes esforços concentraram-se num relógio que sincronizasse a hora com os sinais recebidos de satélites GPS, em vez de se basear em sinais horários padrão transmitidos por estações baseadas em terra. A Seiko Epson tinha já desenvolvido equipamento de localização via GPS, mas incorporar esta funcionalidade num relógio de pulso parecia impossível. O consumo energético da recepção de sinais de um satélite GPS era cerca de 200 vezes superior ao de um relógio controlado por rádio; adicionalmente, era necessária uma antena de dimensão considerável para uma recepção precisa. Incorporar uma funcionalidade semelhante num relógio de pulso implicaria reduzir as dimensões e aumentar a poupança de energia ainda mais. O desafio era exactamente o mesmo que o apresentado à equipa que desenvolveu o Astron original.

Da mesma forma que uma série de inovações técnicas tornou o primeiro Astron possível, houve três elementos que permitiram o desenvolvimento do relógio por satélite.

  • 2012[Série 7X]
  • 2014[Série 8X]
  • 2018[Série 5X]
  • 2019[Série 3X]

O primeiro avanço que permitiu tornar o Seiko Astron mais compacto foi os melhoramentos na antena. A antena da Série 7X de 2012 tinha 38 mm de diâmetro, que foram reduzidos a 35,5 mm com a Série 8X de 2014, e depois 10x10 mm com o lançamento da Série 5X em 2018. A antena da Série 3X de 2019 foi dispersa por todo o mostrador, tornando a sua presença imperceptível. Desde a Série 7X de 2012 até às séries 5X e 3X mais recentes, o consumo energético foi reduzido até cerca de 1/4, enquanto que o desempenho de recepção melhorou 1,5 vezes. Como resultado, para além do tamanho bastante mais compacto, tornou-se possível incorporar um sensor super-inteligente, capaz de receber sinais GPS até duas vezes por dia.

Com uma antena em forma de anel compacta para a recepção de sinais, e o módulo ultra-eficiente a nível de consumo energético, tem o aspecto de um relógio de pulso completamente normal, assim como um desempenho de recepção de sinais excelente. Em 2012, a Seiko conseguiu iniciar a produção mundial do primeiro relógio de pulso GPS solar. E o nome escolhido para este relógio foi Astron. Apesar da funcionalidade do Astron GPS Solar ultrapassar em muito o original de 1969, os dois modelos têm muito em comum: ambos resultam de esforços contínuos de miniaturização e optimização do consumo energético, e na busca por novos padrões de precisão.

O primeiro dos novos relógios Astron, a Série 7X, foi lançada em 2012 e tinha um design único para realçar o carácter pioneiro da sua tecnologia. A Série 8X de 2014 apresentava um diâmetro exterior de caixa mais pequeno, e um estilo mais comum. A Série 5X, lançada em 2018, foi ainda mais longe com um design que não evidenciava a elevada funcionalidade integrada no seu interior. Para além do mais, ao fazer a sincronização, recebe sinais horários em apenas 3 segundos. O novo Astron traçou um caminho de desenvolvimentos contínuos, similar ao seu antecessor. O resultado desta viagem é, hoje, a nova Série 3X lançada em 2019.

Da mesma forma que o relógio de quartzo avançou ao ponto de tornar a alta precisão um dado adquirido, o Astron de hoje tornou a ultra-precisão através de diferentes zonas horárias uma realidade comum. O novo Astron representa uma verdadeira "Segunda Revolução".

Seiko Astron Série 5X
A Edição Limitada do 50º Aniversário do Quartz Astron de 1969

A primeira geração Astron GPS Solar foi actualizada nesta edição limitada comemorativa do 50º aniversário. Equipado com um sensor super-inteligente para um ajuste automático da hora até duas vezes por dia, ajuste de fuso horário de alta velocidade com um motor independente de 3 eixos, e uma função de transferência horária para alternar entre fusos horários de dois países instantaneamente. Movimento de quartzo GPS solar (Calibre 5X53). Cerâmica e Aço Inoxidável (diâmetro 42,7mm, altura 13,5mm). Resistência à água de 10 bar. Série limitada de 1.500 peças.

DETALHES

Seiko Astron Série 3X

Um Astron GPS Solar de edição limitada que comemora e ressuscita por completo a forma e o design do Quartz Astron de 1969, agora com um novo calibre. A Série 3X22 vem equipada com o movimento GPS Solar mais fino do mundo a ser colocado num relógio de pulso, fazendo juz à herança do modelo original e dando-lhe continuidade no século XXI. Com as mesmas funcionalidades essenciais comuns a toda a colecção Astron GPS Solar, este pequeno grande relógio mantém a eficiência energética da Série 5X numa caixa em ouro amarelo de 18k, com apenas 12,8mm de altura e 40,9mm de diâmetro. Resistência à água de 10 bar.

DETALHES